sábado, 5 de agosto de 2017

Dinamite (ode to my dad)

Não me lembro desde quando você perdeu o tato social
E não quer mais sair de casa
E se isola em sua prisão sem grades
E vê o mundo pela tela brilhante
E reza para não chegar (vivo) a mais um aniversário
E se apega a histórias antigas
E não ouve mais ninguém
E se sente ferido
& ofendido
por todos que te cercam
E porque sente tanto frio em dias de sol.






(Damn! Its me)

2 comentários:

  1. fico olhando ele, que tem a voz que é exatamente a minha. No meu pai vejo também o seu - com medo do efeito de espelho, sempre.

    ResponderExcluir